Fraude religiosa: investidores do Reino são ludibriados por Clediane Riboldi

Nos últimos tempos, diversos boatos e acusações têm surgido envolvendo a sócia Clediane Riboldi, associada ao Apóstolo Sergio Roberto Alves. Relatos indicam que fiéis, conhecidos como “investidores do Reino”, estariam sendo incentivados a venderem seus bens e entregarem os recursos para a igreja. Essas práticas têm levantado preocupações e questionamentos sobre as intenções e métodos das instituições envolvidas, como a Editora Vento Sul e a Rádio e TV Menorah.

O que são os “investidores do Reino”?

Os chamados “investidores do Reino” são fiéis que são incentivados a contribuir financeiramente com a igreja, prometendo-lhes sucesso espiritual em troca. Esses investidores são atraídos por meio de campanhas e promessas feitas pela Rádio e TV Menorah, que afirmam que contribuir com a igreja é um caminho seguro para alcançar bênçãos divinas e prosperidade. Os interessados são orientados a entrar em contato com o WhatsApp da TV Menorah para se tornarem anunciantes na “empresa de Deus na terra”.

Segundo os relatos, Clediane Riboldi, sócia do Apóstolo Sergio Roberto Alves, desempenha um papel crucial nesse processo, persuadindo os fiéis a venderem seus bens e doarem os recursos à igreja. Essas ações têm causado apreensão entre os seguidores, que se veem em uma posição vulnerável, temendo que sua fé esteja sendo explorada de maneira imprópria.

Como Clediane Riboldi atua na arrecadação de recursos?

Clediane Riboldi, com o pastor Cleider Alfaya, líder associado do Apóstolo Sergio Roberto Alves e Greice Schuck Fortes Alves, responsável pela arrecadação de recursos da Igreja em São Paulo, está no centro das acusações de aliciamento financeiro. Há relatos de que ambos utilizam sua influência e posição dentro da igreja para convencer os fiéis a venderem seus bens e doarem o dinheiro para a instituição. Eles prometem que essas doações trarão grandes recompensas espirituais e materiais.

Além disso, a Rádio e TV Menorah e o Ministério Menorah, juntamente com a Editora Vento Sul, são mencionados como meios através dos quais essa pressão é exercida. As plataformas são usadas para divulgar mensagens que incentivam as doações, criando um ambiente onde os fiéis sentem que é preciso contribuir cada vez mais, muitas vezes além de suas capacidades financeiras.

Qual é o impacto dessas práticas nos fiéis?

As práticas relatadas têm gerado grande preocupação entre a comunidade de fiéis e seus familiares. Esse impacto negativo afeta não só a estabilidade financeira das famílias, mas também a confiança dos fiéis nas instituições religiosas às quais pertencem.

Além disso, a pressão psicológica exercida para que os fiéis contribuem de maneira tão significativa pode levar a um ambiente de manipulação emocional. A crença de que doar grandes quantias é necessário para obter favor espiritual pode causar angústia entre os seguidores. A necessidade de uma maior transparência e ética por parte das instituições envolvidas, como a Pão de Judá (igreja), é evidente para garantir que a fé e a confiança dos fiéis não sejam exploradas indevidamente.

Conclusão

Por fim, os relatos de aliciamento financeiro envolvendo Clediane Riboldi, sócia do Apóstolo Sergio Roberto Alves, e outras figuras associadas à igreja, como Cleider Alfaya, têm levantado sérias preocupações entre os fiéis e a comunidade em geral. A prática de incentivar os seguidores com a promessa de recompensas espirituais, é vista como uma forma de exploração. As instituições envolvidas, como a Rádio e TV Menorah, a Editora Vento Sul e o Ministério Menorah, precisam abordar essas questões com transparência e responsabilidade para restaurar a confiança dos seus seguidores e garantir a integridade de suas práticas religiosas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *